Something about nothing with a little of anything…

25/06/2009

Buuuuu

Filed under: Uncategorized — Ana Cláudia @ 16:39

Ausência de luz. Mais conhecido como [b]escuro[/b]. Os sentidos se aguçam e se o medo é grande ouve-se/vê-se o que nem está ali. Não é fácil uma “pessoa grande” (ou velha, no meu caso) admitir ter medo do escuro. Não é culpa nossa. Somos fruto de uma sociedade que nos ensina a soltar nossos monstros interiores mais infantis quando estamos sozinhos no escuro. Mais infatis ou mais adultos, em alguns casos.

Mas quem vai dizer que o escuro não dá formas reais às coisas, não materializa os medos?
Por outro lado importante, temos que ser racionais e pensar: é claro que o invisível é tão real quando o visível, mas não é a luz ou a escuridão que dá vida ou mata um deles ou ambos. Na ausência de luz não nasce nada que ainda não existisse na luz Oo (ou assim é melho pensar! hahah brincadeira)

Quem nunca teve um monstro embaixo da cama ou dentro do armário não teve infância! E quem hoje em dia não tem nem sequer um monstrozinho, não tem sangue!

E coragem não é ausência de medo, ausência de medo é doença, porque o medo é necessário a nós para que criemos limites. Coragem é a força para enfrentar o medo.

E como meu texto ficou sem fim, ponho agora uma palavra para finalizá-lo:
FIM!

11/06/2009

Filed under: Uncategorized — Ana Cláudia @ 16:27

Qual é o real valor das palavras? Qual é a credibilidade que se deve dar a elas? E depois de ter sido “feito de bobo” umas 10 vezes, será possível acreditar de novo? O que fazer quando se descobre que Papai Noel não existe? O que dizer quanto aos problemáticos (eufemismo de malditos) pactos verbais humanos (animais que não seriam não é? ¬¬’)? Quem vai dizer que não muda nada descobrir que o passado foi uma farsa? Descobrir-se que se morreu aos poucos só porque alguém achou que seria melhor do que morrer de uma vez só!? E que repercursão o passado tem no futuro? Águas passadas não movem moinhos… sim. Mas a essência do ser humano permanece e transpassa o tempo!

Parece que os fatos confirmam as recentes descobertas: uma certa distância deve ser mantida, porque quando se quebra essa lei e se divide demais a si mesmo com o outro, a tendência é o afastamento em seguida…

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.